LINHA DOS MARINHEIROS

Os marinheiros são trabalhadores do elemento água, ou seja, são mestres da transmutação dos sentimentos, tal qual seus pares e parceiros de trabalho, os elementais da água. Os marinheiros são tão próximos a esses elementos, que sua própria caracterização traz o balanço das águas junto. Claro,nós costumamos dizer que estão bêbados, faz parte do mito, e eles o alimentam porque assim, com essa caracterização, até seus médiuns ficam mais a mercê da transmutação que eles praticam: Estar bêbado quer dizer, quase sempre, estar feliz, alegre, esquecer dos problemas por alguns momentos, esquecer da dureza da vida e simplesmente se divertir. E isso é muito próximo a linha das crianças da Umbanda, que com sua inocência característica, gostam de nos mostrar que o problema é sempre menor do que gostaríamos que fosse. Quando o marinheiro vem e começa a balançar, até que está de fora, na assistência, parece sentir o balanço, olha para o campo santo e vê aquele monte de médiuns se segurando para não cair, fazendo aquela cara de safado que derramou a última gota da garrafa e, por incrível que pareça, acaba se deixando levar pelo balanço também, pela graça da situação.

Quantas vezes eu já olhei pra assistência e vi todos gargalhando gostosamente enquanto os médiuns estão, simplesmente, começando a dar vazão aos seus guias? É essa a força do marinheiro, tão forte que nem precisa da proximidade pra se fazer presente, tão forte como as ondas do mar que, não importa o que encontrem pela frente, continuam seguindo seu caminho, limpando tudo o que encontrar, absorvendo os sais minerais das rochas mais duras para que todos seus moradores possam se alimentar e despejando de volta tudo o que não lhe interessa.Os marinheiros, ou os espíritos da marujada, sabem ler e contar, e conhecem dinheiro, o que não acontece com nenhuma outra entidade.

Supõe-se que são espíritos de antigos piratas, marujos, guardas-marinhas, pescadores e capitães, pessoas que viviam e trabalhavam no mar. Sua mensagem é que se pode lutar e desbravar o desconhecido, do nosso interior ou do mundo que nos rodeia com fé, confiança e trabalho em grupo. Mostram-se sinceros, sentimentais e amigáveis, dispostos a ajudar em problemas amorosos ou na procura de alguém, de um "porto seguro".

A gira de marinheiro e alegre e descontraída. São sorridentes e animados e com palavras macias e diretas eles vão bem fundo na alma dos consulentes e em seus problemas.

A marujada coloca seus bonés e, enquanto trabalham, cantam, fumam charuto, cigarro ou cigarrilha e bebem uísque, vodka, vinho e cachaça. Geralmente usam bonés, calças, camisa e jaleco, em cores brancas de marinheiros e azul marinho de capitães.

Recebem oferendas na orla do mar, em lugar seco sobre a areia. Recusam conchas, estrelas do mar ou outros objetos do mar, pois consideram que ter objetos pertencentes ao mar traz má sorte. Aceitam, porém, oferendas de búzios, que não são considerados adornos, mas símbolos de dinheiro.