SARAVÁ TODOS OS ORIXÁS

AS SETE LINHAS

FORÇA SENTIDO POLO POSITIVO POLO NEGATIVO SENTIMENTO
Cristalina Oxalá Oya Religiosidade
Mineral Amor Oxum Oxumaré Concepção
Vegetal Raciocínio Oxossi Obá Conhecimento
Ígnea Razão Xangô Iansã Justiça
Eólica Equilíbrio Ogum Egunitá Lei
Telúrica Saber Obaluayê Nanã Evolução
Aquática Geração Yemanjá Omulu Criação

Os orixás são mistérios individualizados do Divino Criador, são Divindades, Tronos Sagrados distribuídos por toda Sua criação, são manifestações das qualidades divinas. Olorum é o todo e Suas Divindades são as partes formadas por esse todo.

Cada divindade atua num campo só seu e em momento algum elas se chocam. Adorar as divindades significa adorar as qualidades de Deus. A magnitude, a grandeza infinita de Olorum, nos agracia e contempla com Suas divindades, pelas quais podemos perceber o quanto o Divino Criador é infinito em Si mesmo.

Portanto a Umbanda não é politeísta e os orixás não são deuses. Eles são divindades de Deus, são irradiações divinas que amparam os seres até que evoluam, desenvolvendo seus dons naturais , para alcançar seus fins em Deus. Deus se manifesta e se irradia em todos os níveis onde vivem os seres e as criaturas, através do Setenário Sagrado, os sete sentidos da vida, pelos quais fluem as essências divinas ( cristalina, mineral, vegetal, ígnea, eólica, telúrica e aquática ) que chegam até nós pelas vibrações mentais, sonoras, energéticas e magnéticas.

Os Orixás são cultuados como divindades de um plano astral superior, ARUANDA, que na Terra representam às forças da natureza (muitas vezes confundindo-se a força da natureza com o próprio Orixá):

Exu: o mensageiro, o ponto de contato entre os Orixás e os seres humanos;
Oxalá: o senhor da força, o senhor do poder da vida.
Oxum: as águas doces;
Iemanjá: a rainha dos peixes das águas salgadas;
Iansã: os ventos, chuvas fortes, os relâmpagos;
Xangô: a força do trovão e o fogo provocado pelos relâmpagos quando chegam á Terra;
Ogum ou Ogun: senhor dos caminhos; os desbravador dos caminhos; senhor do ferro;
Oxossí: o Orixá Odé, o Orixá caçador, senhor da fartura 'a mesa, senhor da caça;
Ossãe: o Orixá das folhas; o dono, preservador, das matas e florestas, das folhas medicinais, das ervas de culto;
Obá: a guerreiro, a força da libertade;
Nanã: senhora do lodo, das águas lodosas da junção entre o rio e o mar, fonte de vida, e também senhora da morte;
Obaluayê: "O dono da Terra, o Senhor da Terra"; o Orixá das doenças, senhor dos mortos; é aquele que tira a doença, mas também aquele que dá a doença.
Oxumaré: é o Orixá do arco-íris, um dos pontos de ligação entre o Aye (a Terra) e o Orun (o Céu); também representa a fartura, o bem estar
.

A cada Orixá está associada uma personalidade e um comportamento diante do mundo e com seus filhos.

Orixá, dentro do culto Umbandista não são incorporados (não se incorpora o fogo de Xangô, os ventos de Iansã, as águas doces de Oxum ...). O que se vê dentro dos vários terreiros, centros, tendas etc, são os Encantados dos Orixás ; ou seja, Espíritos não reencarnacionais de grande força espiritual e de grande Luz, que trabalham sob as Ordens de um determinado Orixá.

Os Encantados são os representantes dos Orixás, e a essência dos próprios Orixas manifestada nos médiuns, pois sua força é a emanação pura dos Orixás, é a vibração virginal dos Orixás. Sendo assim, eles podem incorporar nos médiuns, e mostram sua presença e sua força em nome de um Orixá. Porém, são frágeis e o médium pode perder sua sintonia muito facilmente exigindo muito dos médiuns, não podendo permanecer por muito tempo em Terra.

Como diferenciar os Encantados dos Orixás das Entidades Guias de Trabalho?

É simples. Os Encantados dos Orixás não falam, não bebem, não fumam, não dão consultas. Trabalham na harmonização do terreiro, afastando cargas e no desenvolvimento e equilíbrio dos médiuns. Já as Entidades Guias de Trabalho dão consultas, fumam, bebem, e falam (interagem) com os assistenciados.

Só lembrando que todos os guias (Pretos-velhos, Caboclos, Crianças, Boiadeiros, Marinheiros, Baianos, Malandros, Ciganos, Exus / Pombagiras, etc) trabalham sob as ordem de um Orixá mesmo que não carreguem o nome desse Orixá em sua falange.